fn2017-1Estão aí as festas que animam milhares em Ponte de Lima durante vários dias e várias noites. São as Feiras Novas de Ponte que arrastam novos e velhos, numa multidão que, espontaneamente, entra nas festas.  Cor, alegria, folia e ritmo marcam os dias da festa que encerra o ciclo de romarias do Alto Minho, com vários números que milhares não querem perder.  Para começar em grande, logo no dia da abertura, a Associação Concelhia das Feiras Novas pretende entrar para o Guiness com um número recorde de tocadores de concertina. O objectivo é que o maior número de tocadores de concertina toque em simultâneo a mesma música. Não será fácil bater a marca, actualmente nas mais de 600 concertinas, mas as Feiras Novas já há muito que batem outro recorde: o da alegria.  De facto, o primeiro dia da festa está a crescer cada vez mais e é ver cada vez mais limianos a entusiasmarem-se coma  abertura, a ligação da iluminação da festa e também os tocadores de concertina, não faltando já em vários pontos do centro histórico pequenos grupos que cantam e dançam num “aquecimento” para os dias seguintes.  Durante os dias de festa, destaque para os Cantares ao desafio na noite de sexta, com trocas de palavras, às vezes marotas, que arrancam gargalhadas a muitos. No sábado há quem faça questão de cedo erguer para apreciar os melhores exemplares no concurso de gado ou escutar o rimbar dos vários grupos de bombos que, em uníssono, marcam o compasso da festa. À tarde, a alegria reina nas ruas da vila com a passagem do cortejo histórico, onde as freguesias mostram os seus usos e costumes, contagiando os milhares de pessoas que se abeiram junto ao longo percurso. À noite, a concertina é senhora e rainha, animando as rusgas e cantares ao desafio, numa alegria que se estende para alguns, poucos, até à hora do fogo de artifício, para a maioria até de manhã. O dia de domingo conta, este ano, a história de crenças, lendas e narrativas com as visitas e passagens régias em Ponte de Lima e, à noite, o todos os grupos de folclore do concelho mostram as suas danças e cantares na Expolima e no Largo da Lapa. Meia hora depois da meia noite, o “Fogo do meio” enche os céus limianos de cor e alegria. A segunda-feira é centrada nos actos religiosos, num momento solene, a procissão, com muitos quadros bíblicos e confrarias. à noite, a verbena popular anima o largo de Camões.  Por entre o vasto programa, não faltarão, ainda, as bandas de música, a tourada, a corrida de garranos ou a festa na Expolima, com vários DJ’s, numa mescla de actividades para todos os gosto e idades.