Um grupo de aficionados pelo ‘running’ resolveu criar uma prova solidária multidisciplinar de âmbito nacional, que vai decorrer no próximo dia 19 de abril, com a particularidade de cada atleta poder participar sem sair de casa. A promoção da prática desportiva neste período de confinamento pelas contingências provocadas pela COVID-19, aliado ao espírito de solidariedade para quem está na linha da frente no combate a este surto pandémico, materializou-se na promoção deste evento que terá a particularidade de doar todo o valor monetário com as inscrições para o Hospital de S. João, no Porto, e o Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, em Penafiel.

A iniciativa foi batizada de ‘Kilómetros em Casa’ e o objetivo é que cada atleta consiga percorrer a maior distância possível nas quatro horas de prova, num espaço confinado na habitação. O percurso terá de ser feito na garagem, jardim, terraço, piscina, varanda ou num outro espaço que respeite as recomendações da Direção Geral de Saúde. “Tendo em conta a multidisciplinaridade do evento, o atleta ficará livre para escolher a modalidade que pretende exercitar, sendo permitido a utilização de passadeiras, bicicletas, elípticas, remos, ou seja, acessórios que primam pela criatividade e insiram o espírito da prova”, explicou a organização.

A inscrição e o respetivo donativo deverão ser efetuados até às 22 horas do dia 18 de abril, uma vez que a prova decorrerá no dia seguinte (19 de abril), entre as 8 e as 12 horas. Neste período serão efetuadas reportagens em streaming e da qual poderão ser visíveis os dorsais obrigatórios que cada atleta irá utilizar.

Como meio de prova, os atletas terão de enviar posteriormente para a organização uma fotografia com os quilómetros realizados, através dos relógios, aplicações dos telemóveis (goofit, apple, strava, runtastic, RunKeeper, entre outros), bem como a transmissão dos vídeos em streamming com alguns participantes.

O apelo é que haja o maior número de participantes possível, “pela relevância da prova no que diz respeito à promoção do exercício físico neste período de confinamento e, mais importante, pela carga solidária no apoio monetário às unidades hospitalares em causa”, concluiu a organização.