Os bombeiros voluntários do distrito de Viana do Castelo exigem mais rapidez no pagamento do transporte de doentes e a atualização do valor pago por quilómetro para contrariar as “grandes dificuldades financeiras” em que se encontram.

“Reclamamos um pagamento mais atempado do serviço de transporte de doentes. No fundo, que haja um compromisso para que esse pagamento seja feito mensalmente, entre os dias 20 e 25, para evitar problemas de tesouraria e falta de liquidez”, afirmou o presidente da Assembleia Geral dos Bombeiros de Monção.

A propósito de uma reunião agendada para o dia 18, entre as direções das 11 corporações de bombeiros voluntários da região e os três deputados do PS eleitos pelo Alto Minho, José Manuel Nogueira disse que “a morosidade do pagamento do transporte de doentes aos hospitais e a ausência de apoios estão a provocar grandes dificuldades financeiras na vida destas associações humanitárias, designadamente a falta de liquidez”.

“Por exemplo, os Bombeiros de Monção fazem a liquidação dos seus compromissos, com funcionários e fornecedores, a 30 dias e, normalmente, recebem o correspondente ao serviço que presta a diferentes instituições com cerca de três a quatro meses de atraso. Este diferencial de tempo tem um impacto substancial e cria problemas de tesouraria e falta de liquidez”, especificou.