Providência cautelar do PAN por causa dos plátanos embargou novos acessos ao porto de Viana

O Partido Pessoas, Animais e Natureza (PAN) interpôs uma providência cautelar para embargar a obra de construção dos novos acessos ao porto de mar de Viana do Castelo, impedindo assim o abate de cerca de 30 plátanos na avenida do Cabedelo, em Darque.

De acordo com o PAN, a providência cautelar deu entrada no dia 15 de outubro e “teve admissão liminar por parte do Tribunal”. “Isto significa que as obras e o abate das árvores estão suspensos pelo menos durante mais 10 dias, até à Câmara Municipal se pronunciar”, sustentou o PAN, considerando que os plátanos “são um símbolo identitário” do Cabedelo “e possuem um elevado valor ecológico”, cujo abate “irá provocar danos irreparáveis”.

A Câmara de Viana do Castelo confirmou que foi notificada e que já apresentou os argumentos para refutar o embargo, aguardando agora a decisão do tribunal. 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*