Veterinários angariam 6.244 euros para apoiar pastor de Gondoriz

Um relâmpago matou hoje 68 cabras na freguesia de Gondoriz, em Arcos de Valdevez, distrito de Viana do Castelo. (Imagens cedidas pela Câmara Municipal de Arcos de Valdevez), 09 de abril de 2021. LUSA

A Ordem dos Médicos Veterinários (OMV) angariou 6.244 euros para apoiar o pastor Dario Gonçalves, de Arcos de Valdevez, que na sexta-feira ficou sem 68 cabras de raça bravia, mortas por um relâmpago na semana passada.

A OMV conta que “angariou o valor total” de 6.244 euros e 50 cêntimos, “correspondentes a 220 donativos na conta solidária” criada em 13 de abril para ajudar o pastor, de 53 anos, que andava com o rebanho, composto por cerca de 350 cabras, pelos montes de Gondoriz, em Arcos de Valdevez, no distrito de Viana do Castelo.

Segundo a Ordem, “a morte destes animais significou uma perda económica direta de aproximadamente” 5.000 euros, “sem contar com as crias que estariam para nascer”.

“Perante a impossibilidade de o pastor poder repor este efetivo e receber os apoios financeiros, a OMV optou por abrir uma conta solidária para a qual convidou a classe dos Médicos Veterinários a apoiar, contando também com o contributo da sociedade civil. O valor atingido será suficiente para a aquisição dos animais, pelo que a OMV já procedeu ontem [quinta-feira] ao encerramento da conta OMV Solidária”, indica o comunicado.

A OMV diz que “teve conhecimento de um comunicado do Ministério da Agricultura que dá conta [de] que tratará o processo como caso de ‘força maior’”.

O Ministério da Agricultura explicou “que, depois de avaliados todos os instrumentos disponíveis, o acontecimento de que resultou na morte de 68 cabras de raça Bravia no concelho de Arcos de Valdevez, está a ser tratado pelo Instituto de Financiamento da Agricultura e Pescas (IFAP) no âmbito dos regimes de ajuda aos produtores agrícolas e pecuários, como um caso de força maior”.

“Este regime determina que a redução do efetivo de caprinos do produtor em causa não resultará em qualquer tipo de penalização no pagamento das ajudas a que se candidatou, nomeadamente na atribuição do prémio para ovinos e caprinos, no apoio à manutenção de raças autóctones e no apoio à manutenção da atividade agrícola em zonas desfavorecidas”, sublinha a OMV.

Citado no comunicado, Jorge Cid, Bastonário da Ordem dos Médicos Veterinários (OMV), destaca “o sucesso da iniciativa, que contou com muitas pessoas que quiseram solidarizar-se com o pastor Dario Gonçalves de Lima que perdeu de forma trágica o seu sustento”.

O médico lembra ainda a “importância da preservação da figura do pastor, cada vez em menor número em Portugal e da sua dedicação aos animais”.

“São explorações como esta que contribuem para a manutenção do património genético destas nossas raças autóctones, para a gestão da paisagem e eliminação de matéria combustível, prevenindo incêndios rurais, bem como para a fixação de pessoas em territórios desfavorecidos e que geram e retêm valor nestas áreas, sob a forma de produtos alimentares de elevado valor e que são eles também parte do nosso património histórico e cultural”, concluiu Jorge Cid.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*