“Associações empresariais do Minho ficam mais credíveis”

0
298

O presidente da AEP, Luís Miguel Ribeiro, enalteceu a recém-criada CONFMINHO, que representa 12 associações empresariais do Minho, e notou que a nova estrutura confere “mais credibilidade” às empresas da região.

A recém-empossada direção da Confederação Empresarial da Região do Minho reuniu-se pela primeira vez para debater as primeiras ações.

Em agenda esteve a criação do seu Conselho Estratégico e a captação de financiamentos comunitários para acelerar a atração de investimento que permitam impulsionar a economia da região através do apoio à modernização e inovação das empresas minhotas.

Luís Miguel Ribeiro, presidente da AEP, foi um dos convidados a abrir a sessão de trabalhos da reunião que marcou o início de atividade da Direção da CONFMINHO.

O presidente da Associação Empresarial de Portugal parabenizou a CONFMINHO afirmando que este movimento irá permitir que “as Associações representativas das empresas da região do Minho ganhem escala e prestem melhores serviços constituindo-se como interlocutores mais credíveis junto das instituições públicas”.

Para Luís Miguel Ribeiro, a CONFMINHO vai permitir robustecer o movimento associativo empresarial e responder aos anseios das empresas assegurando a necessária resposta à terrível crise económica causada pela pandemia da COVID-19.

Ao presidente da AEP juntou-se o presidente do Conselho Regional do Norte da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, Miguel Alves, anfitrião desta reunião de direção que decorreu no Auditório da Biblioteca Municipal de Caminha.

Miguel Alves reconheceu a importância da criação da CONFMINHO, destacando que esta aposta no trabalho em rede vai permitir acrescentar valor aos serviços prestados pelas Associações Empresariais, destacando ainda a capacidade destas Associações ao agregarem-se para representar o movimento Associativo Empresarial das NUT III Alto Minho, Cávado e Ave com os consequentes benefícios para a economia e o tecido empresarial da região.

Para o Presidente da CONFMINHO, Luís Ceia, “este movimento é particularmente importante nos tempos que atravessamos uma vez que a região do Minho representa 119.969 empresas, com um volume de negócios de 33.604 milhões de euros e 7.814 milhões de euros em exportações”. Esta região vale 28,6% do volume de negócios da região Norte. Aqui estão instaladas 27,8% do total de empresas do Norte. O Minho representa ainda 37,9% do total das exportações da região Norte.

A CONFMINHO é constituída por 12 Associações Empresariais da região do Minho que decidiram agregar-se através dos seus Conselhos Empresariais (CEVAL – Confederação Empresarial do Alto Minho e CEDRAC – Conselho Empresarial do Ave e do Cávado) e criar uma Confederação Empresarial que impulsione o movimento Associativo Empresarial das NUT III Alto Minho, Cávado e Ave.

A CONFMINHO reúne, da parte da CEVAL, as associações empresariais de Ponte de Lima, Viana do Castelo e Valença e as associações comerciais e industriais de Arcos de Valdevez e Ponte da Barca (ACIAB) e de Monção e Melgaço (ACICMM).

O CEDRAC está representado pela Associação Comercial de Braga, pelas associações comerciais e industriais de Esposende (ACICE), Vila Real (ACIVR), Barcelos (ACIB), Vila Nova de Famalicão (ACIF) e Vizela (ACIV) e pela Associação

Empresarial de Fafe.