Marco fronteiriço em Cevide integra projecto musical pioneiro pensado para tempos de pandemia

O marco fronteiriço nº1 em Cevide, Melgaço, vai fazer parte do roteiro Sons de Bolso, um projecto pioneiro em Portugal que convida o público a explorar o espaço geográfico em busca de peças musicais geolocalizadas. Esta aplicação de telemóvel vai ser apresentada este sábado e pretende dar resposta aos novos desafios de distanciamento social impostos pela COVID-19 e que restringem o acesso aos espaços de concerto. Através desta aplicação, criada pela Interferência – Associação de Intervenção na Prática Artística, os utilizadores são convidados a explorar o espaço geográfico em busca de peças musicais geolocalizadas e que apenas poderão ser escutadas quando o utilizador se encontrar na proximidade da localização designada. Trata-se de uma modalidade não convencional de consumir e interagir com música, inédita em Portugal, que permite novas experiências para o público.

O conteúdo artístico (exclusivo) está relacionado com a preservação e promoção do património cultural português, da conquista de liberdades e valores democráticos e da memória colectiva e identitária da pluralidade social portuguesa neste séc. XXI. 

A apresentação em Cevide incluirá uma pequena apresentação/contextualização do projeto por parte da direção artística e do compositor vianense Manuel Brásio, que nos presenteará com a peça AU REVOIR.

Após a sessão de boas-vindas, o público será convidado a experimentar a App Sons de Bolso e a partir à descoberta da música e da história do local.O evento contará com a presença do executivo da Câmara Municipal de Melgaço e dos Amigos de Cevide.