“Nota-se nas ruas que o PS pode ganhar no Alto Minho e eleger três deputados”

O candidato do PS pelo círculo eleitoral de Viana do Castelo está confiante na vitória no próximo domingo, garantindo a eleição de três deputados do Alto Minho. A disputa eleitoral com o PSD também tem feito faísca no distrito e Tiago Brandão Rodrigues contra-atacou o candidato laranja, na polémica em torno do lítio, alegando que Jorge Mendes “não conhece a Serra d’Arga”. 

“A única sondagem válida é aquela que é feita no dia das eleições, mas posso disser que se nota nas ruas do distrito de Viana do Castelo uma grande confiança de que o PS pode ganhar este ato eleitoral no Alto Minho e com isso conseguir a eleição de três deputados para a Assembleia da República”, afirmou o cabeça de lista do PS e ministro da Educação. “Mas é preciso dizê-lo: não nos confiemos e nós não nos confiamos. Os altominhotos reconhecem o trabalho feito pelo PS, por mim, pela Marina Gonçalves, pelo ex-autarca de Viana do Castelo, José Maria Costa. Mas entendemos também muitos altominhotos que nos disseram que por muito que não votem habitualmente no PS, entendem que o voto no PS é necessário. Não falam no voto útil, falam no voto necessário”, afirmou. 

Questionado sobre a polémica em torno da prospecção de lítio na Serra d’Arga, o candidato reiterou a sua convicção de que não vai avançar e contra-atacou o candidato do PSD pelo distrito que acusou Brandão Rodrigues de ter feito uma “uma profissão de fé” quando tornou pública a sua convicção. “Esta não é uma questão de fé. E há aqui uma grande diferença entre o cabeça de lista do PS e do PSD: nós não nos esquecemos do que o PSD fez em relação à prospecção mineira por todo o país. E em relação à Serra d’Arga, eu sou um conhecedor profundo da serra, conheço Arga de Baixo, Arga de Cima, Arga de S. João, toda a encosta da Cabração, sei o que é Santa Rita e por que Paredes de Coura está na Serra d’Arga, conheço S. Lourenço da Montaria, Amonde e toda e encosta, sei o que é a Senhora do Minho, a Chã Grande, o que é o garrano e o que representa, quem são as pessoas que vivem lá, sei também geologicamente e em termos biológicos qual é a avifauna que importa, a flora e fauna e qual tem sido o compromisso dos autarcas daqui do Alto Minho relativamente a essas questões. E a grande diferença é que o cabeça de lista do PSD não conhece a Serra d’Arga. Viu-a ao longe de vez em quando e nem sabe aquilo que na sua própria casa tem”, atirou o candidato socialista que devolveu as acusações a Jorge Mendes também na questão das obras do novo acesso da A3 a Paredes de Coura. “Como é a que a lista do PSD teve a desfaçatez de ir ver o acesso entre a A3 (Sapardos) e Paredes de Coura e falar dos problemas quando todo o projecto foi legalizado no tempo em que o mesmo cabeça de lista era presidente da Câmara de Valença, começando essa estrada em Vila Nova de Cerveira, passando pelo concelho de Valença e depois para Paredes de Coura. Não vale tudo na política. Eu não tenho falado dos meus adversários que não são meus inimigos. Mas a forma constante, quase persistente e obsessiva como se vai falando da lista do PS mostra o nervosismo que não cabe na política”, considerou. Apesar da picardia, Brandão Rodrigues apelou ao esclarecimento da população e, acima de tudo, a valorizar o que é da região. “Não é no Kramer contra Kramer, ou altominhoto contra altominhoto que vamos tirar algum tipo de partido desta campanha eleitoral”, reiterou. 

O candidato do PS convocou uma conferência de imprensa para fazer um balanço de campanha onde destacou as 10 sessões do roteiro 100% Alto Minho que aconteceram nos 10 concelhos do distrito. Tiago Brandão Rodrigues lembrou que neste roteiro discutiram-se as problemáticas da fileira florestal, do vinho e da vinha, relação com IPVC, turismo, Serviço Nacional de Saúde, cultura como factor de aproximação transfronteiriça, habitação, economia do mar, desporto, ambiente e sustentabilidade, industrialização e inovação, educação e pertinência do ensino profissional. O candidato realçou ainda que a campanha eleitoral do PS no Alto Minho “andou na rua, foi às instituições, empresas, IPSS’s, escolas” e abordou os problemas da desertificação e inverno demográfico.  “Os altominhotos conhecem todo o trabalho feito e conhecem o compromisso desta lista”, frisou o candidato e ministro da Educação que focou também o seu balanço no apelo ao voto no próximo domingo. “Apesar do contexto pandémico, o voto é seguro. Tenho notado alguma apreensão por parte da população com quem contactamos e encontrei alguns presidentes de Junta, do PS, independentes e até de outras forças políticas, que me disseram: “senhor ministro, diga a Lisboa que nós temos todas as condições para que o voto se faça verdadeiramente em segurança” e é esse o apelo que eu faço: votem e sintam-se em segurança porque estão criadas todas as condições”, afirmou Tiago Brandão Rodrigues.