Viana do Castelo suspende rega de espaços verdes com água da rede pública

0
246

A Câmara de Viana do Castelo informou ter suspendido a rega de espaços verdes com água da rede pública, garantindo apenas “regas pontuais em vasos e plantas anuais com água proveniente de captação própria”.

A redução dos consumos de água integra o conjunto de medidas tomadas pelo executivo municipal para mitigar os efeitos da seca no concelho de Viana do Castelo. A autarquia adiantou que vai “monitorizar as situações mais problemáticas, nomeadamente falta de água em algumas freguesias”. Face à previsão meteorológica para os próximos dias, marcada pela ausência de precipitação, a autarquia decidiu ainda reforçar a “vigilância dos espaços florestais nos dias de temperaturas mais elevadas, com prontidão de meios assegurada”. “A Câmara de Viana do Castelo mantém-se atenta e reconhece que a atual situação é preocupante pelo que, se continuar esta tendência meteorológica, será equacionada a tomada de medidas de restrição do uso de água e poderá ser assegurado o transporte e disponibilização de cisternas de água para as necessidades mais prementes”, refere a nota.

Mais de metade do território de Portugal continental (57,7%) estava no final de dezembro em situação de seca fraca, tendo-se registado uma ligeira diminuição na classe de seca severa e um aumento na seca moderada, segundo dados do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA). Conforme anunciado pelo Governo no passado dia 1, devido à seca em Portugal continental, há limites à produção de energia em várias barragens: Alto Lindoso/Touvedo, Vilar de Tabuaço, Alto Rabagão, Cabril e Castelo de Bode. A água da barragem de Bravura, no Barlavento algarvio, deixou de poder ser usada para rega.