DS Smith investe 145 milhões de euros na fábrica de Deocriste para “liderar a transição para a economia circular”

0
306

 

A DS Smith anunciou um pacote plurianual de investimentos de 145 milhões de euros para equipar a unidade fabril de Deocriste, em Viana do Castelo, “com algumas das mais avançadas tecnologias de fabrico de papel”, reconstruindo a atual secção de prensas da máquina de papel e reduzindo as emissões de CO2.

De acordo com a empresa, o pacote de investimento incluirá a reconstrução da atual máquina de papel e a instalação de uma nova caldeira de recuperação topo de gama, que será uma das mais modernas da Europa. A caldeira permitirá melhorar o desempenho ambiental, mediante o aumento da eficiência operacional em 25% na produção do vapor que será alimentado à fábrica. Prevê-se que a nova caldeira, fornecida pelo líder de mercado Valmet, inicie a sua laboração no início de 2025.

“Este pacote de investimentos é um dos vários projetos da DS Smith, na Europa e América do Norte, que contribuem para o seu objetivo de reduzir em 46%, em valores absolutos comparativamente com os níveis de 2019, as emissões de Gases com Efeito de Estufa (GEE), nos scopes 1, 2 e 3, até 2030, e atingir as zero emissões líquidas até 2050”, frisa a empresa líder em soluções de packaging sustentável. “A DS Smith está empenhada em liderar a transição para a economia circular. As nossas operações de fabrico de papel em toda a Europa e América do Norte estão focadas em fornecer o papel necessário para satisfazer a crescente procura de packaging sustentável. Sendo uma das nossas maiores fábricas, a unidade de Viana do Castelo tem um enorme papel a desempenhar neste contexto e o investimento de 145 milhões de euros é prova do nosso compromisso de permanecer na vanguarda do mercado e de liderar a corrida para as zero emissões líquidas na indústria do papel”, realçou Niels Flierman, responsável pela Direção de Paper & Recycling na DS Smith.

A nova caldeira irá também potenciar os efeitos da reconstrução da máquina de papel, permitindo aumentar a sua velocidade e capacidade. Isto assegurará que a fábrica de Viana continuará a desempenhar um papel fundamental na resposta à crescente procura de soluções de substituição do plástico ambientalmente problemático. Esta reconstrução permitirá produzir papéis novos e inovadores para dar resposta à procura crescente de soluções de packaging mais sustentáveis por parte dos clientes.

A DS Smith encarregou os fornecedores Voith e Valmet de concretizarem a reconstrução da máquina de papel, prevendo-se a sua conclusão no final deste ano.

A Fábrica de Papel de Viana do Castelo é líder de mercado no sul da Europa. Após um ambicioso plano de modernização em 2017, tornou-se numa das fábricas de papel kraftliner mais eficientes da Europa. Foi adquirida pela DS Smith em 2018, sendo anteriormente conhecida como Europac Kraft Viana.