Já voltaram a ler jornais no centro de Esposende

0
609

Num clima festivo, decorreu a cerimónia de inauguração das obras de requalificação do Largo Rodrigues Sampaio e zona envolvente, no coração da cidade de Esposende, traduzindo um investimento de 1 milhão 613 mil euros, financiado a 80% pelo Norte 2020, através do PARU (Plano de Ação para a Regeneração Urbana). 

 O presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira, presidiu à cerimónia, que, entre outras individualidades, contou com a presença do presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), António Cunha, e do presidente da Câmara Municipal de Barcelos, Mário Constantino, e onde a comunidade marcou também presença de forma massiva.

A intervenção tornou a sala de visitas da cidade mais atrativa e funcional, adaptando-a às vivências atuais. Foram melhorados os acessos, a circulação e o estacionamento, favorecendo as zonas pedonais e reforçando a arborização, e melhorando a relação do largo com toda a zona envolvente, principalmente com as ruas pedonais que aí entroncam. A intervenção contemplou uma nova disposição dos canteiros, do mobiliário urbano e da iluminação pública, a eliminação de barreiras arquitetónicas, a criação de passadeiras e o alargamento da passagem que liga à Praça D. Frei Bartolomeu dos Mártires, que também foi intervencionada nesta empreitada.

 “A par da questão estética e do desenvolvimento harmonioso, a intervenção foi pensada numa ótica de dinamização económica e turística, sem sacrificar a componente funcional do espaço, palco de excelência para a realização dos mais diversos eventos e espaço público privilegiado de encontro da cidade”, frisou o presidente da Câmara Municipal. Reconhecendo que o prazo dos trabalhos foi excedido, agradeceu a compreensão dos moradores, e em particular dos comerciantes, pelos incómodos causados, salientando que o Município teve sempre a preocupação de minimizar o impacto da intervenção. Ainda em matéria de agradecimentos, referiu os técnicos do Município responsáveis pelo projeto e pela obra e as empresas que a executaram, lembrando também a Junta da União das Freguesias de Esposende, Marinhas e Gandra pela cooperação. 

Numa intervenção incisiva, onde, como nota prévia, manifestou preocupação face ao contexto atual do país e do mundo, pela crise política e pelas guerras na Europa e no Médio Oriente, e pela forma como estes eventos impactam o nosso dia a dia, Benjamim Pereira criticou o sistema vigente em matéria de concursos públicos de empreitadas. Clarificou que o Municipio é muitas vezes vítima de processos de impugnação destes concursos, vendo o lançamento de empreitadas atrasar largos meses, com evidentes prejuízos e efeitos negativos. Frisando que o interesse público tem de imperar, o autarca diz que é intenção do Município exigir ser ressarcido caso se verifique a injustificação da impugnação, o que tem sucedido.

Afirmando que “Esposende é um território de excelência”, o presidente da Câmara Municipal reafirmou a determinação em promover o desenvolvimento do território e aumentar a qualidade de vida da população, estratégia que assenta numa ótica de cooperação e não de competição com os demais municípios. É neste contexto que Esposende projeta com o Município de Barcelos a criação de uma zona industrial partilhada pelos dois concelhos, revelou Benjamim Pereira.

O autarca referiu que, no âmbito abrigo do PARU, foi possível concretizar a requalificação da Zona Central e o Campo de S. Miguel, em Marinhas, a Alameda do Bom Jesus, em Fão, adaptar o antigo quartel da GNR para Arquivo Municipal, em Esposende, e a Escola de Areia, em Apúlia, para Museu do Sargaço, assim como proceder à requalificação do Mercado Municipal, obra ainda em curso. 

Para Benjamim Pereira a sustentabilidade financeira do Município sempre foi ponto de ordem, razão pela qual a autarquia continua a dispor dos recursos necessários para alavancar um conjunto de novas obras estruturantes para o concelho, de que é exemplo o Parque da Cidade e a ponte pedonal e ciclável sobre o rio Cávado, os projetos da Estação Radionaval de Apúlia, do Forte de S. João Baptista e da Zona Desportiva Municipal, bem como a materialização do Ensino Superior em Esposende, por via das novas instalações do IPCA. No plano de projetos do Município consta, para além da criação do Souto Citadino, a construção do Centro de Recolha Oficial (CRO) de animais, a 2.ª fase da requalificação da Escola Secundária Henrique Medina e a Rede de Miradouros, referiu Benjamim Pereira, garantindo também o cumprimento dos compromissos assumidos com as freguesias e com as suas populações.

A cerimónia iniciou com a bênção das obras, pelo arcipreste de Esposende, padre Delfim Fernandes, seguindo-se um momento bastante apreciado pelo vasto público presente e que mereceu também o aplauso de Benjamim Pereira e do presidente da CCDR-N. Com encenação de Jorge Alonso e Eva Fernandes, o GATERC – Grupo de Teatro Amador Esposende Rio Cávado apresentou uma performance teatral evocativa de António Rodrigues Sampaio, ilustre jornalista e político português, natural de S. Bartolomeu do Mar (Esposende), que dá nome ao largo. Numa dialética entre o passado e o presente, foi evocado o tempo da inauguração do seu busto, aquando do centenário do seu nascimento, e o tempo atual, em que se renova este novo espaço.

 Uma obra bem conseguida numa praça que é estrutural para o centro urbano de Esposende, ligando a cidade com o rio, foi como o Presidente CCDR-N, António Cunha, saudou a intervenção “harmoniosa” efetuada no Largo Rodrigues Sampaio, “um projeto bem conseguido e bem feito”. Expressou, por isso, satisfação por testemunhar um momento feliz para a cidade e para o concelho, afirmando que “é um prazer participar em momentos assim”.

Enquadrando Esposende no território da CIM Cávado, o presidente da CCDR-N referiu que é um concelho “notável e atrativo”, que registou um aumento da população “como poucos municípios”. António Cunha saudou a estratégia do Município assente no desenvolvimento do território, na qualidade de vida, na sustentabilidade ambiental e no conhecimento, este por via da instalação do ensino superior no concelho. Para o Presidente da CCDR-N, Esposende dispõe de todos os atributos para continuar a crescer e a fazer deste um território de “ainda mais excelência”, e, neste contexto, manifestou disponibilidade para, na medida das suas competências, colaborar nesse desiderato, numa altura em que estão em cima da mesa os projetos estruturantes do novo quadro de financiamento, o Norte 2030.

DCIM100MEDIADJI_0508.JPG

A satisfação por ver concluída a obra que renovou o centro urbano da cidade foi expressa tanto pelo presidente como pelo secretário da Junta da União das Freguesias de Esposende, Marinhas e Gandra, respetivamente Aurélio Neiva e Tiago Miranda. Ambos elogiaram a intervenção e realçaram os seus benefícios, considerando que “os constrangimentos e prejuízos serão largamente compensados no futuro”, e agradeceram também a compreensão de todos quantos se viram condicionados pela realização dos trabalhos. Aurélio Neiva deixou o desafio à ACICE – Associação Comercial e Industrial de Esposende para apostar na dinamização destes espaços agora requalificados, tornando-os ainda mais apelativos. Mais oferta de habitação e a preços mais acessíveis, a par do cumprimento dos compromissos assumidos neste mandato, foram os pedidos expressos por Aurélio Neiva a Benjamim Pereira.