Zita Fernandes: “Aposta de Ponte de Lima na economia já vem tarde”

0
518

Depois do Ponte de Lima Minha Terra ter votado a favor do plano de actividades e orçamento apresentado pela maioria do CDS-PP, Zita Fernandes, presidente do movimento independente, desfaz todas as dúvidas e garante que os vereadores continuarão a “fiscalizar e a fazer oposição” ao executivo da maioria do CDS-PP com a apresentação de propostas “para uma política a curto-prazo”. Lamenta que “ainda predomine a ideia de que ser oposição é ser-se apenas do contra” e garante que a inclusão de propostas do PLMT no documento “é a demonstração” que “há maneiras diferentes de fazer política”. 

Afirmando que “as pessoas ainda têm muito a ideia que ser ser oposição é ser-se do contra independentemente das propostas serem boas ou más”, Zita Fernandes admite que o voto favorável tem “levado a muitos comentários” e lamenta que todos os eleitos não estejam na política “com uma postura construtiva”. “Se não conseguíssemos trazer assuntos importantes não seria uma força política com interesse para o concelho. Ser oposição não é ser mais uma força política a gritar”, reagiu Zita Fernandes, coordenadora do Ponte de Lima Minha Terra, frisando que a votação a favor do plano de actividades e orçamento para 2024 “é a demonstração que o PLMT faz falta e uma prova que há maneiras diferentes de fazer política”. 

LEIA A ENTREVISTA COMPLETA NA EDIÇÃO DESTA SEMANA DO “ALTO MINHO”