Polémica dos transportes: Contas da Câmara de Ponte de Lima apuram um valor de compensação superior ao pedido pela AVIC

0
402

Um estudo da Câmara de Ponte de Lima chegou à conclusão que o valor das compensações por Obrigações de Serviço Público a pagar à AVIC deveria ser de 293,82 euros/dia e não os 250 euros/dia propostos na minuta do protocolo que foi enviado pela autarquia à empresa. A informação foi revelada pela AVIC no comunicado onde contesta as declarações do presidente da Câmara de Ponte de Lima, que disse que não pode aumentar o valor das compensações, enquanto o grupo AVIC “não comprovar que teve aumento de custos”. “Só agora se revela esta informação, em defesa da honra e honorabilidade das empresas do grupo AVIC, que destrói por completo o afirmado e revela o carácter do citado senhor presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima. No dia 9 de maio do corrente ano, a Câmara Municipal de Ponte de Lima remeteu ao Grupo AVIC a minuta do protocolo para as compensações das OSP onde propunha a manutenção do pagamento de €250,00, por dia, até 150 quilómetros. Para justificar o valor proposto, a acompanhar aquela minuta, a Câmara Municipal de Ponte de Lima anexou um estudo por ela elaborado, de onde resulta que o valor apurado a pagar ao operador do Grupo AVIC deveria ser de €293,82/dia e não de €250,00/dia conforme proposto na minuta do protocolo enviado pela própria Câmara Municipal”, lê-se no comunicado da empresa, acrescentando que “nesse estudo os custos com o pessoal estavam abaixo da realidade, sendo que, mantendo-se os restantes índices, e corrigindo os custos com o pessoal, o valor médio das operadoras seria de €332,00, valor superior àquele proposto pelo Grupo AVIC”.

“De realçar que ao valor/dia da compensação é deduzida toda a receita obtida através da venda dos vários títulos de transporte (bilhetes, passes sociais, passes estudantes, etc.). Para além de todas as evidências exaustivamente enviadas às Autoridades de Transporte em relação ao aumento de custos de exploração, refira-se, por último, que é um facto notório e, por isso, conhecido do cidadão comum, do homem médio e, por isso, também do citado senhor presidente da Câmara Municipal, que desde 2020 até à presente data se assistiu a um aumento desmesurado do custo de vida e por inerência do custo de todas as atividades económicas e em especial dos transportes. Concluiu-se, assim, que o senhor presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima, Vasco Ferraz, com a indicada notícia excedeu todos os limites razoáveis”, declarou a empresa.