A construção da ligação rodoviária do parque empresarial de Formariz, em Paredes de Coura, à autoestrada 3 (A3) vai começar no segundo trimestre do ano, num investimento de 9,5 milhões de euros. Trata-se de um investimento há muito aguardado e que irá impulsionar o investimento de 2,5 milhões de euros que a Câmara de Paredes de Coura quer fazer na expansão da área do parque industrial de Formariz, face ao interesse de novas empresas, atraídas pela construção desse novo acesso.

A propósito da publicação em Diário da República (DR) de um despacho do ministro do Ambiente a declarar o “Relevante Interesse Público (RIP)” da obra, a Infraestruturas de Portugal (IP) explicou que o documento “permite à empresa requerer a Declaração de Utilidade Pública (DUP) dos terrenos e a consequente notificação dos proprietários de que irá proceder à expropriação dos mesmos”. Cumpridos esses procedimentos, a previsão de início dos trabalhos de construção daquele acesso aponta para o segundo trimestre deste ano.
O presidente da Câmara de Paredes de Coura, Vítor Paulo Pereira, congratulou-se com a publicação do despacho que designou de “peça chave para a instrução da DUP que autorizará a IP a desafetar áreas da Rede Ecológica Nacional (REN) sobre as quais incide o trajeto da nova ligação”.
“Do ponto de vista administrativo todas as formalidades e legalidades necessárias à realização da obra estão cumpridas. Neste momento nada obsta à emissão da DUP, que permite que, mesmo sem o consentimento dos proprietários, o Estado possa tomar posse administrativa dos terrenos e iniciar a obra, ficando pendente a discussão dos valores de indemnização a atribuir, e que poderá ser decorrer em tribunal”, declarou, adiantando que o novo acesso representa “um investimento de 9,5 milhões de euros, 85% suportado pelo orçamento da IP e os restantes 15% pelo município, que assumirá os cerca de 800 mil euros para as expropriações”.
O autarca acrescentou: “A nova ligação da A3 ao parque industrial de Formariz é que tornou possível a captação de novas empresas que permitirão a diversificação das atividades industriais, para além dos setores automóvel e do calçado, e o começo da criação de emprego ligado à investigação, ao conhecimento e à tecnologia.”
Já o vice-presidente da Câmara, Tiago Cunha, explicou que o investimento na expansão e requalificação do parque empresarial de Formariz, que vai crescer 7,5 hectares, foi candidatado no final de dezembro a fundos comunitários, estimando uma decisão sobre a sua aprovação para o final deste mês.
Tiago Cunha adiantou que o parque empresarial “tem, atualmente, uma área de 24,8 hectares e que, com a expansão prevista, atingirá os 32,8 hectares”.
“A intervenção candidatada prevê a criação de 65 novos lotes, sendo que 62 serão destinados a ocupação industrial e três a espaços verdes e equipamentos”, disse.