As festas e romarias estão suspensas no Alto Minho até 30 de junho. A decisão foi tomada esta sexta-feira pelo Conselho Intermunicipal da Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho com o presidente da Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM).  Na prática, significa que as emblemáticas Festa das Rosas de Vila Franca, Festa de Santa Cruz, em Alvarães, (esta já tinha anunciado o cancelamento), a Vaca das Cordas em Ponte de Lima ou a Festa do Corpo de Deus, em Monção, não se vão realizar este ano nas datas previstas.

“Os Municípios do Alto Minho não irão passar qualquer licença para festas, romarias e eventos equiparáveis que decorram até final do mês de junho, face aos graves riscos de saúde pública associados à propagação da pandemia do COVID 19 no Alto Minho”, anunciou a CIM, em comunicado.

A estrutura que agrega os 10 concelhos do Alto Minho informou ainda que “entrará em funcionamento, durante a próxima semana, em Viana do Castelo, um centro de diagnóstico destinado exclusivamente a pessoas com suspeitas de infeção COVID-19 referenciadas pelas autoridades de saúde e com prescrição médica, o qual funcionará em modelo “Drive Thru”, deslocando-se os pacientes referenciados dentro do veículo ao ponto de recolha sem entrar em contacto com outras pessoas, reduzindo assim o risco de infeção em cada colheita”. Apelou ainda “para a necessidade imperativa de, tendo em vista a proteção de todas as pessoas e em particular dos idosos relativamente aos graves riscos de saúde pública associados à propagação da pandemia do COVID 19, evitar qualquer tipo das tradicionais atividades da época pascal, tais como compassos pascais, almoços de família, festas e romarias” e para que os emigrantes ou migrantes que já se encontram ou  pretendam regressar ao Alto Minho “permaneçam, a partir da entrada em Portugal, em regime de isolamento profilático/ quarentena por um período de 14 dias, evitando qualquer tipo de contacto que coloque em risco a sua saúde e a dos seus concidadãos”.