O Grupo AVIC está preocupado com reinício da circulação de transportes públicos e apela a uma retoma das carreiras entre os municípios do Alto Minho para que o trabalho que a empresa “há muito tempo tem vindo a lutar para manter” não se perca irremediavelmente.

O Grupo entende que a Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho deve tomar uma atitude no sentido de garantir que as carreiras se realizem, mantendo-se “pelo menos” a ligação entre os diferentes concelhos. “Com o relançamento da economia, há a necessidade de retomar algumas linhas urgentemente, como a carreira entre Melgaço- Viana, Paredes de Coura-Viana, Arcos-Viana ou Lindoso-Arcos e depois algumas com análises dos próprios municípios. Caso contrário, o que pode acontecer é que o rio comece a secar… o perigo é esse. As pessoas começam a resolver os seus problemas de transportes com familiares e perde-se o serviço público… eu não me revejo nisso em que uma carreira entre Melgaço e Viana, que o Grupo AVIC lutou tanto para manter, acabe por ser extinta”, afirmou Valdemar Cunha, administrador da AVIC. “Quanto mais tempo passar, mais isolamento vai haver e andamos aqui anos a fazer um sacrifício, com atrasos no concurso público, agora veio a pandemia, e as CIM’s e Câmaras não deviam perder este trabalho e toda a mobilidade, que era fraca, mas que não se pode deixar acabar”, acrescentou.