Mercadona alia-se a agricultores para “dar a conhecer o melhor que se produz em Portugal”

A Mercadona e a Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) assinaram um protocolo de colaboração para dinamizar a produção nacional portuguesa “reconhecendo o trabalho diário de milhares de agricultores nacionais”.

A cadeia de supermercados considera o sector primário nacional “como um motor de crescimento”, comprando atualmente a 300 fornecedores comerciais nacionais. “A empresa continua a apostar em manter relações de compromisso a longo prazo, conseguindo ao longo destes anos gerar sinergias e construir uma cadeia agroalimentar sustentável, eficiente, moderna e diferenciadora, que seja benéfica para todos os elos”, referiu, indicando que “em 2020 comprou produtos no valor de 208 milhões de euros a 300 fornecedores comerciais nacionais, representando um aumento superior a 65%, relativamente a 2019”.

“Esta colaboração é de extrema importância para nós, pois o conhecimento da CAP sobre o sector primário permitirá à Mercadona continuar com o trabalho, já em curso na empresa desde há vários anos, de impulsionar o seu projeto de cadeia agroalimentar sustentável. Além disso, o nosso objetivo é continuar a trabalhar com fornecedores portugueses fazendo com que estes cresçam ao nosso lado. Em 2021 vamos continuar com o nosso plano de expansão em Portugal e, com a CAP como parceira, queremos dar a conhecer à sociedade o que de melhor se produz em território nacional”, garantiu Pedro Barraco, diretor de relação com o sector primário da Mercadona Portugal. 

“A Mercadona é uma entidade que valoriza, de forma séria e consistente, a produção nacional, estabelecendo relações de estabilidade e previsibilidade com os agentes económicos do setor privado, isto é, com os produtores. Esta forma de relacionamento, com respeito, equilíbrio, e com vincadas preocupações de sustentabilidade, tem aceitação por parte da CAP e reconhecimento neste protocolo. Acreditamos que o modo como a Mercadona se relaciona com os seus fornecedores do setor agro é correcto e transparente, indutor de confiança, e é o modo que permite, efetivamente, contribuir para o desenvolvimento virtuoso da produção nacional”, afirmou Luís Mira, secretário-geral da CAP. 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*