Início de reconstrução da fortaleza de Valença previsto para setembro

0
589

O presidente da Câmara de Valença apontou o mês de setembro para o início da empreitada de reconstrução da fortaleza que ruiu parcialmente na sequência do temporal de 1 de janeiro.

José Manuel Carpinteira explicou ter recebido “a minuta do protocolo de colaboração a estabelecer entre o município, a Direção-geral de Tesouro e Finanças, Direção Regional de Cultura do Norte (DRCN) e o Fundo de Salvaguarda do Património Cultural que transfere para a Câmara de Valença a responsabilidade de reconstrução”.

Com a “assinatura digital do documento, prevista para esta semana”, o município “terá legitimidade para avançar com a abertura do processo de execução do projeto, abertura do concurso público e a empreitada de reconstrução da fortaleza”. Até sexta-feira, acrescentou José Manuel Carpinteira, a autarquia vai formalizar uma candidatura para o financiamento da reconstrução da fortaleza, “que será assumido em 60% pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), sendo que os restantes 40% ficam a cargo do Fundo de Salvaguarda do Património Cultural”.

O monumento, classificado como Património Nacional desde 1928, está sob a tutela do Ministério das Finanças, mas cabe à DRCN acompanhar o município na reabilitação do pano de muralha que ruiu, na zona da Coroada. Segundo o autarca socialista, continua restringido o acesso aos túneis dos patamares inferiores dos baluartes do Socorro e do Carmo, junto à Pousada de São Teotónio, uma das zonas críticas identificada e que está a ser monitorizada por técnicos do município. A fortaleza encontra-se em processo de classificação como Património da Humanidade, pela UNESCO. A candidatura conjunta com as fortalezas abaluartadas de Almeida e Marvão foi apresentada, em dezembro de 2022, à Comissão Nacional da UNESCO.