Museu do Linho e do Mundo Rural distinguido com prémio “Incorporação”

0
468

O Museu do Linho e do Mundo Rural,em Marrancos, Vila Verde, foi distinguido pelos prémios anuais da APOM – Associação Portuguesa de Museologia, na categoria ‘Incorporação’, em reconhecimento da incorporação de bens culturais que enriquecem o acervo museológico e o património local e da região. 

Instalado na União de Freguesias de Marrancos e Arcozelo, no concelho de Vila Verde, o Museu viu reconhecido o trabalho desenvolvido na valorização do espólio resultante da doação de Abílio Soares Ferreira, que retrata o ciclo completo do linho, assim como aspetos tradicionais da vida do mundo rural. 

Na cerimónia de entrega dos prémios, que decorreu em Lisboa, a presidente da Câmara Municipal de Vila Verde, Júlia Rodrigues Fernandes, sublinhou a importância do museu na preservação do património do mundo rural e na valorização do concelho e da região. A autarca destacou “a doação extraordinária de Abílio Soares Ferreira”, que inclui peças, utensílios e memórias que “ficam para memoria futura e constituem um verdadeiro cartaz de visita para o concelho Vila Verde, que se orgulha de ser uma referência como espaço de desenvolvimento sustentado na identidade do território”. 

O Museu do Linho e do Mundo Rural possui um amplo espólio ligado ao linho, desde a sementeira até ao tear e à sua utilização, designadamente ao nível dos trajes e dos lares, caraterizando também o modo de vida das famílias do mundo rural, no século XIX, típico da região do Minho. 

Resultado de uma parceria do Município de Vila Verde, da União de Freguesias de Marrancos e Arcozelo e da Associação Recreativa e Cultural de Marrancos, o Museu apresenta diversos instrumentos de trabalho e as peças elaboradas em linho e sua forte simbologia, remetendo para as diversas voltas que o linho dá, desde a sementeira até ao tear, constituindo um importantíssimo legado cultural.