“SonicBlast é uma experiência que todos deviam viver pelo menos uma vez”

0
637

Sentado na sua cadeira de rodas, Plácido Moreira Brás, que pertenceu ao executivo municipal de Caminha, na Presidência de Pita Guerreiro, observava, agora com 83 anos, a entrada do Festival Sonic Blast, na Praia dos Caldeirões, em Âncora. “Ainda estão a ganhar reservas para a noite”, disse, sorrindo.

Parte do público estaria, sim, a poupar-se para as “horas mais agitadas”. Mas muitos, mesmo com o imenso calor que se registou no primeiro dia, estavam já entregues aos sons dos acordes frenéticos, que ecoavam dos dois palcos no recinto. “É um grande espetáculo e com bom ambiente com esta juventude agora”, considerou o antigo autarca. A música, essa, era bem “diferente do que a ouvia na juventude”, no entanto Plácido Brás não tinha dúvidas: “É muito bom para Âncora.”

A primeira edição do Sonic Blast decorreu em 2011. Desde aí, mas de duas centenas de bandas já subiram aos palcos do festival, que se instalou primeiramente em Moledo, onde ficaria vários anos. Há dois, mudou-se para o novo local. Tal facto fez com que o evento “abrisse as portas” a diversas associações de Âncora que aproveitaram a zona da alimentação para recolherem fundos para as suas coletividades.

Leia a reportagem completa na edição desta semana do “Alto Minho”