“Comerciantes de Viana precisam de escolinha, não é de colinho!” 

0
411

Os comerciantes de Viana do Castelo aplaudem a criação do Bairro Comercial Digital, mas alertaram para vários problemas que existem na cidade, designadamente na iluminação, decoração e dinamização ao longo do ano. Pedem mais eventos e divulgação que permitam aos visitantes permanecer mais tempo na cidade e sentem que precisam de mais formação para conseguir potenciar os seus negócios.

Durante a apresentação do projecto que promete dar uma nova vida ao centro histórico da cidade, transformando-o num “centro comercial ao ar livre”, os comerciantes apontaram várias queixas. “Viana está mesmo muito parada. Não se vê ninguém nas ruas. Tenho enviado emails para câmara, aos quais não recebi resposta nenhuma. Por que razão o jardim público não é mais utilizado e não tem mais iluminação? Andar lá de noite é um perigo. A Praça da Republica à noite é à média luz também… são pontos nevrálgicos da cidade que deviam ter mais atenção, são dois ex-libris que, se não forem potenciados, as pessoas não visitam”, comentou um dos comerciantes, que tem uma loja na rua Luis de Camões, queixando-se dos abusos de estacionamento que por lá se verificam. “A Câmara de Braga pediu aos comerciantes para abrirem até meia noite e apoia com 15% da renda mensal. Os comerciantes estão contentes e a Câmara também”, sugeriu o comerciante, considerando que “o preço dos parques de estacionamento em Viana é uma vergonha”. 

Outra comerciante apelou à Associação Empresarial de Viana do Castelo (AEVC) para apostar mais na formação, designadamente na área digital e nas línguas. “Estão de parabéns, têm uma dinâmica muito forte e agradeço o vosso trabalho, mas sinto essa necessidade: de escolinha, não é colinho! E a formação deve ser no horário laboral porque o pós-laboral é para família”, defendeu. 

LEIA TUDO NA EDIÇÃO DESTA SEMANA DO “ALTO MINHO”