Ermelo planta 100 laranjeiras para preservar produto endógeno de Arcos de Valdevez

0
368

A União de Freguesias de São Jorge e Ermelo, em Arcos de Valdevez, promove no sábado, com o apoio de produtores locais e população, a plantação de 100 laranjeiras para preservar um produto endógeno da aldeia. 

O presidente da União de Freguesias de São Jorge e Ermelo, Horácio Cerqueira, explica que as 100 árvores que vão ser plantadas, no sábado, a partir das 09:00, “foram desenvolvidas através de um processo de multiplicação vegetativa (enxertia), a partir da recolha de material em laranjeiras localizadas no Ermelo, com mais de 50 anos”. O processo de desenvolvimento destas plantas arbóreas começou em julho de 2023, para contrariar “a quebra de produção de laranja nos últimos anos”. Segundo Horácio Cerqueira, “o envelhecimento da população e consequente despovoamento, a falta de uma estratégia de modernização e acompanhamento técnico (sem descaracterizar o modo tradicional de produção)” são alguns dos fatores que justificam a diminuição de produção daquele citrino. O autarca apontou ainda “a falta de uma política de comercialização do produto que garanta viabilidade financeira”, e defendeu a necessidade de um modelo “empresarial, envolvendo os produtores, para garantir a autossustentabilidade financeira da produção”.

Com a plantação das 100 novas árvores o autarca acredita que será dado “um passo para preservar uma tradição, mas também para criar dinâmicas de produção, proporcionando aos produtores acompanhamento técnico especializado, a certificação de produção em modo biológico que já é praticado, mas falta documentar”. “Queremos desenvolver uma metodologia de comercialização, promovendo e mediando a articulação entre os produtores, e criar escala de produto que permita procurar um mercado mais exclusivo, financeiramente atrativo, garantindo também quantidade e qualidade constantes”, sustentou.

A laranja de Ermelo, aldeia situada junto à margem direita do rio Lima, na serra do Soajo, a cerca de 20 quilómetros da sede de concelho, pertence ao catálogo mundial de produtos do movimento internacional ‘Slow Food’, integrando esta lista desde 2010. De casca lisa e fina, de média dimensão, doce, sem fibras e com poucas sementes, a laranja de Ermelo foi introduzida na região no século XIII pelos monges Beneditinos, quando estes se instalaram na aldeia.