Viana do Castelo estendeu o tapete ao 25 de Abril

0
227

Nem mesmo as fontes que representam as quarenta freguesias do concelho na Praça da Liberdade perderam a festa dos 50 anos da Revolução dos Cravos. Desligadas há vários anos, retomaram o seu esplendor no dia 24 de abril, logo após os meninos da escola da Avenida ali terem feito uma moldura humana, enquanto mesmo ao lado as gentes da Ribeira faziam um tapete de sal alusivo à data.

As celebrações, que se estenderam a todo o concelho, onde também as freguesias lembraram a data com sessões, música e atividades culturais, tiveram o seu ponto alto com a sessão solene da Assembleia Municipal e Câmara Municipal, que terminou com os presentes a entoarem a “Grândola Vila Morena”. Mas as comemorações integram cerca de duzentas iniciativas promovidas pelo município e entidades diversas, entre teatro, cinema, oficinas, concertos, conferências, murais, esculturas e muito mais, até abril do próximo ano.

O programa das Comemorações é organizado pela Câmara Municipal de Viana do Castelo e Centro Cultural do Alto Minho (CCAM), entidade coordenadora da Comissão Promotora das Comemorações Populares do 25 de Abril em Viana do Castelo, que reúne várias associações de índole cultural, desportiva e social e instituições vianenses, sessenta ao todo. Esta Comissão, com individualidades dos vários setores da sociedade, representantes de todos os agrupamentos políticos da Assembleia Municipal, diretores de agrupamentos de escolas públicas e privadas, presidentes das Juntas e Uniões de Freguesia, pessoas representativas de variadas profissões, entre outros. A estes, foi lançado o repto para serem embaixadores dos valores do 25 de Abril e para fomentarem atividades alusivas ao mesmo em diferentes contextos e ao longo de todo o ano.

Em Viana do Castelo, o objetivo passa por ir além da evocação da data, envolvendo os agentes locais e o território e gerando uma reflexão em vários domínios, entre educação, cultura, ciência e outros, sobre os ganhos dos 50 anos de democracia e liberdade. É também objetivo da autarquia incorporar a temática nos eventos que são promovidos e nos protocolos de apoio ao associativismo.

Assim, serão desenvolvidas iniciativas que se estendem ao longo de 2024 e 2025 e que intersetam com as iniciativas promovidas pelas diferentes entidades, tendo sido criado um logótipo local agregador que teve como ideias-chave a liberdade, a democracia e o desenvolvimento, permitindo revisitar a história, mas com o olhar na construção do futuro.

De destaque, a exposição nos Antigos Paços do Concelho “25 DE ABRIL DE 1974. QUINTA-FEIRA”, com fotografias do dia da revolução de Alfredo Cunha, o fotógrafo que, em Lisboa, nessa quinta-feira, acompanhou de perto o nascimento da liberdade, e onde se revivem alguns dos momentos principais da revolução e se pode apreciar as imagens mais icónicas de diversos cenários de um acontecimento que mudou o rumo da história de Portugal.

Neste ano comemorativo, a Câmara Municipal irá também promover um mural coletivo de Mário Rocha, em colaboração com alunos do concelho, que será instalado na zona da Praia Norte, e a implementação de uma escultura também de Mário Rocha na rotunda que inicia a Avenida 25 de Abril.

As comemorações pretendem celebrar a conquista da liberdade e a construção da democracia através de um conjunto amplo e diverso de iniciativas que conciliam a evocação da memória da resistência e da Revolução com a reflexão sobre o futuro.