Livro dos 136 anos do Teatro Sá de Miranda conta histórias “desta verdadeira jóia da arquitetura nacional”

Viana do Castelo celebra hoje os 136 anos de existência do Teatro Municipal Sá de Miranda. Para assinalar a efeméride, a Câmara Municipal lança uma publicação que presta homenagem às histórias e memórias de um dos ex-libris da cidade. O livro “Teatro Municipal Sá de Miranda (1885-2020)”, da autoria de Paula Anjos, que é apresentado hoje, às 18h00, “conta as histórias desta verdadeira jóia da arquitetura nacional”, frisa a autarquia.

Foi mandado edificar pela Companhia Fomentadora Vianense, grupo de personalidades vianenses, constituído em 1874, com o fim de, entre outros, “proceder à edificação de um theatro, que ficará sendo propriedade sua”. Com raiz italiana, o Teatro Sá de Miranda foi projetado por José Geraldo da Silva Sardinha, com plateia em forma de ferradura e três ordens de camarotes, com capacidade de cerca de 400 lugares. O pano de boca foi desenhado por Luigi Manini e pintado por Hercole Labertini, cenógrafos do Teatro S. Carlos, e o teto, com retratos de dramaturgos, foi pintado por João Baptista do Rio. 

Em 1985, ao celebrar-se o seu centenário, este espaço cultural foi adquirido pelo Município de Viana do Castelo, tornando-se então Teatro Municipal Sá de Miranda. Numa primeira fase, a autarquia promoveu obras de beneficiação devido à acentuada degradação em que se encontrava o espaço. Em 2000, ficaram concluídas as obras de requalificação e segurança com substituição integral da caixa de palco e instalação de modernos equipamentos cénicos, que permitem pôr em cena os mais exigentes espetáculos. No logradouro interior desta casa de espetáculos foi construído um moderno café-concerto, para além de salas de ensaios e oficinas de armazéns de material cénico.

Em 2019, o Município concluiu uma outra empreitada de requalificação do Teatro Municipal, num investimento de 150 mil euros que incluiu, no exterior, o tratamento e pintura de todas as fachadas, incluindo caixa de palco; o tratamento e pintura de toda a caixilharia pelo exterior e interior; a substituição de caleiro interior orientado a norte, na cobertura; bem como obras de conservação no interior do segundo piso.

Atualmente, o Teatro Municipal acolhe inúmeras atividades culturais, sendo casa mãe de uma companhia de teatro residente. Dança, ópera, música clássica e contemporânea, teatro, workshops e conferências são algumas das ações que têm permitido ao Teatro Municipal assumir-se como um dos principais espaços culturais da cidade e da região.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*