Alto Minho adere à “Corrida para a Vida” na luta contra o cancro

Os municípios do Alto Minho aderiram à 2ª edição da “Corrida para a Vida”, uma prova solidária multidisciplinar e virtual, organizada pelo Núcleo Regional do Norte da Liga Portuguesa Contra o Cancro, cuja ideia chave é a realização de uma iniciativa em que os participantes, ainda que distanciados uns dos outros, estejam juntos e unidos na luta contra o cancro. 

Esta 2º edição culminará na manhã de 30 de maio de 2021, mas decorrerá durante um período de 15 dias a partir de 16 de maio, dentro do qual cada Município, se assim o desejar, pode escolher a data em que pretende assinalar localmente a “Corrida para a Vida”.

Por outro lado, cada pessoa inscrita pode também escolher livremente o dia e o horário da sua participação na iniciativa.

Tal como sucedeu na 1ª edição realizada em 2020, esta “Corrida para Vida” terá como madrinha a ex-atleta campeã, Aurora Cunha, e o cantor Marco Paulo. 

Os fundos que forem alcançados com a realização deste evento serão aplicados em benefício dos doentes oncológicos, particularmente os mais carenciados, com apoio social e económico, apoio psico-oncológico e apoio jurídico.

A meta desta 2ª edição da “Corrida para a Vida” traduz-se em dois objetivos um simbólico e outro real: atingir o maior número possível de quilómetros, simbolicamente percorridos na luta contra o cancro e obter o maior valor possível em donativos decorrentes das inscrições e, sobretudo, superar em larga medida o resultado de 25.975,00 euros, alcançado na 1ª edição realizada em pleno confinamento, em maio de 2020.

A inscrição traduz-se num donativo, de valor à escolha de cada pessoa.

Realizada online no site da “Corrida para a Vida” www.corridaparaavida.pt ou numa autarquia local aderente – Câmara Municipal ou Junta de Freguesia – preferencialmente a da respetiva área de residência.

Cada pessoa inscrita receberá um dorsal oficial do evento, enviado por e-mail pela Organização, no caso de inscrição online ou, em caso de inscrição numa Câmara Municipal ou numa Junta de Freguesia, por estas entregue no próprio ato da inscrição ou enviado por e-mail.

A escolha do local ou do percurso de realização da atividade de cada participante é da sua inteira responsabilidade, podendo ser em casa (incluindo garagem, jardim, quintal, terraço, piscina, varanda) ou fora de casa, nomeadamente em espaços públicos, se tal for permitido à data e sempre com respeito absoluto pelas recomendações da Direção-Geral da Saúde e pelas normas legais sobre a prevenção da Covid-19, que estiverem então em vigor.

Tendo em conta a multidisciplinaridade desta prova de solidariedade, cada participante é livre de escolher a modalidade que pretende exercitar, podendo caminhar, correr, pedalar, nadar, remar, subir e a descer escadas, realizar exercícios de ginástica, dar toques de bola ou praticar outras atividades desportivas ou recreativas, sendo permitida a utilização de passadeiras, bicicletas, elípticas, remos, bolas e outros materiais e artigos desportivos que apelem à criatividade e à originalidade e se insiram no espírito solidário da iniciativa.

Serão atribuídos alguns prémios de originalidade aos participantes que, no juízo da Organização, tiverem realizado as atividades mais criativas.

Por outro lado, cada participante também poderá estabelecer como objetivo pessoal percorrer o máximo de quilómetros que puder, durante a barreira horária da prova.

Porém, será sempre atribuída a distância simbólica de 5 kms por cada pessoa inscrita, de modo a permitir à Organização, após o evento, comunicar o somatório dos quilómetros simbolicamente percorridos, quer em cada município quer no total da região norte.

Durante a atividade, os participantes poderão captar fotografias e/ou realizar vídeos, exibindo o dorsal oficial da Corrida para a Vida, podendo partilhá-los com a Organização, para posterior publicação e para a atribuição dos referidos prémios.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*