Primeiro romance de escritor monçanense combina “erotismo explícito” com vinho

Sexo e vinho são os ingredientes do primeiro romance de Paulo Pires, um monçanense que cresceu em Viana do Castelo. A obra chama-se “Cardápio de Erotes” e foi apresentado recentemente numa unidade hoteleira em Viana do Castelo.

O autor de 49 anos, que já fez várias foto reportagens para revistas, conta que foi durante o período de pandemia que lhe surgiu a inspiração para escrever. “Foi um livro sem guião que surgiu durante a pandemia. Comecei a dissertar, a entrar nas personagens e, quando dei por ela, enveredou por contos eróticos. Achei engraçado e fui continuando até que surgiu o livro”, referiu Paulo Pires. “O livro é de erotismo explícito, daí o nome cardápio para incluir todas as dimensões do sexo e do desfrute das suas variantes, combinado com o vinho”, explicou, indicando que cada conto do livro explora uma preferência sexual. “Foi um livro escrito com paixão”, assegurou o autor que, apesar de ser oriundo de uma região de alvarinho, não incluiu esta casta no seu “Cardápio de Erotes”. “O único vinho branco que aparece no livro é um do Douro”, assumiu, salvaguardando que na apresentação da obra foi servido um alvarinho de Monção.