Banda desenhada conta história da Eurorregião do Norte de Portugal e Galiza

A associação Eixo Atlântico do Noroeste Peninsular lançou a banda desenhada “Das Origens à União Europeia, História da Eurorregião Galiza – Norte de Portugal”, que conta a história do território em galego, espanhol e português.

A publicação de 100 páginas, disponível ‘online’, mostra a história “desde os primeiros povoadores, em 300.000 antes de Cristo (AC), até à atualidade”, explica a associação.

A banda desenhada foi dirigida e escrita pelo historiador Víctor Rodriguez, enquanto Daniel Docampo, Daniel Correia, Norberto Fernández e Martim Cordovil desenharam as ilustrações.

A publicação estrutura-se em cinco partes de forma cronológica, “começando com os primeiros povoadores na Eurorregião e a chegada do Cristianismo. Neste capítulo explica-se a conquista dos romanos (a construção de cidades, estradas, pontes e outras infraestruturas); a conquista da Ibéria pelos povos bárbaros: Suevos, Vândalos e Alanos, e a cristianização”, descreve o comunicado do Eixo Atlântico.

A história continua com o Reino Visigodo, ano 700, até à Revolta dos Irmandiños (ano 1500). Durante este período ocorreu a conquista muçulmana; a descoberta da tumba de Santiago e a posterior construção da primeira igreja e o aumento da sua importância com Diego Xelmírez e El Pio Latrocínio, continua a nota de imprensa, que assinala depois a consolidação do Reino da Galiza e a independência do Reino de Portugal.

Segue-se a guerra entre Portugal e Castela pelo trono da Galiza e depois a guerra pelo trono de Portugal. Apresenta vários exemplares da construção de igrejas e castelos tanto na Galiza como em Portugal, lê-se ainda.

O terceiro capítulo trata desde a morte de Henrique I de Portugal até ao final da ditadura de Salazar (1580 – 1974). Nestas páginas ilustra-se a morte do rei Henrique de Portugal e a União Ibérica; a lenda de Maria Pita (A Coruña); a Batalha de Rande, o planeamento de Ferrol, o florescimento dos Hidalgos e a construção dos seus palácios e negócios.

Detalha-se ainda no livro a tentativa de Napoleão de conquistar Portugal e Espanha, a Guerra Civil em Portugal que colocou liberais contra absolutistas, as sublevações para reclamar um acordo justo para a Galiza e o “Ressurgimento” perante as ditaduras de Salazar e de Franco.

O percurso histórico termina com o período entre a Revolução dos Cravos (1974) até 2021. Nesta última etapa, a Eurorregião viveu a autonomia da Galiza e a entrada na Comunidade Europeia, assim como a abertura de fronteiras e a solidariedade transfronteiriça em momentos difíceis.

O quinto capítulo trata dos 30 anos de história do Eixo Atlântico, desde a sua fundação em 1992. Através das personalidades e trabalhadores do Eixo, a publicação explica as atividades desenvolvidas pela entidade e a sua importância para a coesão do território em áreas como a cultura, o desporto e o turismo, assim como a promoção de redes europeias para a defesa de cidades periféricas nas políticas europeias.

Citado pelo comunicado, o historiador e redator da banda desenhada, Víctor Fernández, assegurou haver histórias que “tinham de estar presentes” na obra, mas onde é também dado a “conhecer o que é mais desconhecido que mostra a relação entre a Galiza e o Norte de Portugal. Há uma história comum, um passado comum e um futuro também comum”.

A associação de cooperação transfronteiriça Eixo Atlânbtico reúne 39 municípios do Norte de Portugal e da Galiza.