Detidos por causa de tiroteio em Barcelos são suspeitos de crimes violentos contra grupo “rival”

0
599

A Polícia Judiciária (PJ) deteve dez pessoas numa operação centrada num acampamento em Arcozelo, Barcelos, e que está relacionada com uma troca de tiros num café daquela freguesia, disse fonte policial. Os 10 detidos integram um grupo que, “de forma recorrente, se vem dedicando” à prática de crimes violentos contra pessoas, sobretudo visando outro grupo que considera rival, anunciou a PJ, acrescentando que os arguidos também são suspeitos de crimes contra bens patrimoniais alheios.

“Como forma de exponenciar o clima de medo e potenciar atos de violência, os elementos do grupo utilizavam as redes sociais e exibiam armas de fogo, veiculando imagem hostil e intimidatória perante terceiros, provocando grande perturbação e alarme social entre as populações locais”, diz ainda o comunicado.

Na terça-feira, a PJ efetuou diversas buscas domiciliárias e não domiciliárias “que permitiram a recolha e consolidação de substanciais elementos de prova e que resultaram na apreensão de substância estupefaciente, armas de fogo e outros objetos relacionados com a prática dos crimes”.

As buscas incidiram, sobretudo, num acampamento em Arcozelo, Barcelos, no distrito de Braga.

Todos residentes em Barcelos, os 10 detidos são suspeitos de crimes roubo com arma de fogo, detenção de armas proibidas, dano, dano agravado e com violência, furto, furto qualificado e ofensas à integridade física qualificada, factos reportados aos anos de 2022 e 2023, em Barcelos.

Os suspeitos vão ser presentes a tribunal para interrogatório judicial e aplicação de medidas de coação.

A investigação foi desencadeada após uma troca de tiros num café em Arcozelo, Barcelos, registada em fevereiro.

Em novembro de 2022, no mesmo café, já tinha havido uma outra rixa.