“Plantel do Neves tem muita margem de progressão”

0
568
O Neves tarda em recuperar o estatuto que detinha há alguns anos, quando lutava pelos lugares cimeiros da classificação. Esta época voltam a ser visíveis essas dificuldades e o treinador, Tiago Cristino, reconhece que o objetivo da equipa é alcançar a manutenção “o mais rápido possível”. 
O seu trabalho, como treinador adjunto de Marco Alexandre no Neves, despertou a atenção dos responsáveis do clube, que esta temporada apostaram no jovem técnico para liderar a equipa. “Tudo começou há dois anos, em dezembro, a convite do Marco Alexandre para ser adjunto no Neves. Na temporada seguinte continuei como adjunto, mas em março, devido a motivos profissionais, abandonei o clube. No entanto, em finais de julho o presidente do Neves, Sérgio Peixoto, lançou-me o desafio para ser o treinador principal do Neves e aceitei”, contou.
Tendo em consideração o actual momento do clube, o principal objetivo é “a manutenção o mais rápido possível”, confirmou o treinador. “Já era expectável que existissem dificuldades devido ao arranque tardio para preparar a época. Liguei a vários jogadores, mas já estavam comprometidos com outros clubes. Da época passada apenas ficaram três atletas”, apontou, identificando algumas das lacunas da equipa.

LEIA TUDO NA EDIÇÃO DESTA SEMANA DO “ALTO MINHO”