Mercadona aumenta em 49% o volume de compras a fornecedores nacionais em 2023 alcançando 1.178 milhões de euros

0
203

A Mercadona, empresa de supermercados, continua a crescer em Portugal e a reforçar, ano após ano, o volume de compras a fornecedores nacionais e a sua aposta no setor primário português, tendo aumentado 49% em 2023 face a 2022. Nesse mesmo ano, a empresa, que conta já com 49 lojas em território nacional, comprou cerca de 1.178 milhões de euros a 1.000 fornecedores comerciais e de serviços, um valor que aumentará em 2024 com a abertura de mais 11 supermercados em Portugal, chegando a dois novos distritos: Guarda, já no próximo dia 16 de maio, e Évora, em outubro.

As compras da Mercadona a fornecedores portugueses, comerciais e de serviços, têm vindo a aumentar progressivamente desde 2019, altura em que a empresa abriu as primeiras lojas. Desde então, a Mercadona passou de um investimento de 217 milhões de euros para os atuais 1.178 milhões de euros. “Com o objetivo de oferecer os produtos mais frescos e com a máxima qualidade aos “Chefes” (clientes), a Mercadona mantem-se fiel ao seu compromisso de desenvolvimento de uma Cadeia Agroalimentar Sustentável, apostando no setor primário português e desenvolvendo com os seus fornecedores relações estáveis, de compromisso e a longo prazo, permitindo um crescimento sustentável para todos os elos da cadeia. Do peixe comprado diariamente em lotas nacionais, ao azeite 100% português ou à pera rocha do Oeste, a empresa procura os melhores fornecedores especialistas, de Norte a Sul até às ilhas, promovendo a exportação e dando a conhecer o que de melhor que se produz em Portugal. Esta aposta tem-se revelado não só um motor de desenvolvimento económico e social, como também, e sobretudo, uma aposta na diferenciação”, salienta a Mercadona. 

“De norte a sul de Portugal é possível encontrar uma vasta diversidade de produtos, desde a pera rocha do Oeste aos lácteos dos Açores. Na Mercadona trabalhamos diariamente para que seja possível encontrar, em todas as secções, um sortido variado e que permita ao “Chefe” levar para casa um carrinho de compras de qualidade e à portuguesa. Esta aposta na produção nacional permite uma maior frescura dos nossos produtos e, ao longo destes quase cinco anos em Portugal, temos tido a oportunidade de trabalhar com excelentes fornecedores, bastante motivados e com vontade de crescer connosco”, salientou Pedro Barraco, diretor da Cadeia Agroalimentar da Mercadona.